sexta-feira, 3 de junho de 2011

Primeiros passos para aprender o Patchwork

É difícil, mas você chega lá!

Olá!

O post de hoje é para a Adenize, uma das minhas designers preferidas. Outro dia estávamos ao telefone no meio do dia de trabalho resolvendo questões de prazo de entrega de arquivo da revista na gráfica, provas, etc... e ela me perguntou: quero fazer uma cabeceira de patchwork igual àquelas que você colocou no seu blog, me explica como é?

Só que naquele momento eu estava com duas pessoas ao meu lado numa mini reunião, com ela ao telefone resolvendo os prazos do meu trabalho e não tive como responder numa frase simples.

Isso ficou na minha cabeça por alguns dias: como vou ensinar patchwork ao telefone? Aí surgiu a ideia deste post.

Meu objetivo é desmistificar que patchwork é algo simples, porque não é! Se alguém discordar de mim, por favor, comente aqui e tente eu fazer mudar de idéia.

Então para você que tem interesse em começar, pense com carinho nas minhas dicas abaixo. Elas são fruto da minha experiência de erros e acertos. E só lembrando: quando eu comecei não sabia nem ligar o botão de uma máquina de costura. Então seu eu consegui aprender, qualquer ser humano que queira, aprenderá .

COMO EU SOU
Antes de me adentrar no lado técnico da arte, descobri algumas características em comum entre eu e outras “patchworkers. Eu particularmente sou apaixonada por cores, até por conta da minha profissão. Não tenho lá muita paciência e talvez por isso eu comece e não termine meus projetos, mas quem tem se dará bem. Sou perfeccionista, e acho que aqui é a onde isso mais se acentua, pois cada detalhe bem feito deixa uma peça muito bonita. Eu não tenho muita habilidade manual, mas fui treinando e conquistei, se você já tem, vai voar! E, sobretudo tenho um carinho enorme por meus projetos, pois dediquei muito tempo intelectual e de trabalho físico para cada um. No momento eu estou fazendo um projeto que vai demorar MUITO tempo, porque é todo à mão e com pecinhas que tem 2cm de largura e 2,5 de altura.

FERRAMENTAS ADEQUADAS
Agora falando do lado mais técnico da arte, eu acredito que ferramentas adequadas são essenciais para que o trabalho seja prazeroso. Vou dar um exemplo: se você tiver uma tesoura errada, você pode estragar o tecido que pagou R$ 50 o metro muitas vezes, porque era aquele tecido importado maravilhoso que você queria para o seu projeto. Uma agulha grossa para fazer um quilt à mão pode simplesmente estragar o projeto, porque ao invés de ficar delicado; ele ficará grosseiro. Tem uma infinidade de experiências que passei e destruí projetos porque não ouvi minhas professoras, tentando simplificar a coisa. Perdi dinheiro, tempo e me irritei comigo mesma por não tê-las ouvido. Mas eu sou taurina, teimosa, muitas vezes quero fazer do meu jeito... então aprendo do jeito mais complicado rsss.

TECIDOS
Toda vida a gente escuta que tem que ser 100% algodão. Só que estes tecidos são caros... aí a gente insisti em comprar um que é 90% algodão. Na primeira lavagem o que acontece? O tecido encolhe e uma peça que era retangular vira um quadrado, um círculo vira algo oval e por aí vai. Eu acho arriscado pegar qualquer retalho que não seja 100% algodão para montar uma peça de patch. Antes de começar a cortar o tecido, você precisa lavá-lo até sair toda tinta excedente, pois isso vai evitar que na primeira lavagem ele manche. É muito natural escolher tecidos de variados fabricantes. Uns são melhores, não soltam tinta quando se lava, outros soltam tinta; então não arrisque, deixe todo o tecido de molho quantas vezes precisar até soltar toda tinta. Mas não precisa lavar com sabão, deixe de molho em água apenas. Seque, passe no ferro e aí comece a cortá-lo.

CORTADOR E PLACA DE CORTE
Compre um cortador e placa bons, os melhores que puder. Isso faz toda diferença na economia do tempo nesta fase. Tem cortadores que podem machucar seus dedos. Você põe muita força para cortar o tecido, ele desliza e você se acidenta (cortes feios!). Pagar um pouquinho a mais vale a pena. Idem para as placas.

O PROJETO
Você precisa entender um pouquinho de contas e antes de se aventurar na costura e nos cortes do tecido, precisa montar um projeto cheio de cálculos. E neste caso, se é o seu começo, tente fazer coisas simples mesmo, não complique muito . O começo de tudo num projeto é: o que eu quero fazer? Aonde vou usar isso? É meu, é para presente? Com essas respostas em mente, sente e comece a calcular o seu projeto. Quando mede a peça final? E a partir daí bole os desenhos (tem um monte de referência na internet e em livros) e estruture cada peça. Você precisa considerar as margens de costura... precisa decidir se a peça será costurada à mão ou à máquina. Tem até um software chama EQ que você faz o projeto. Ele não é brasileiro e o preço é meio salgadinho. Eu faço à moda antiga: comprei um bloco grande de folha pautada, me sento à mesa e me sinto uma arquiteta! kkk

UFA, CONCLUINDO...
Ao ver uma colcha, uma peça pronta, você pode achar que é só cortar retalhos e depois juntar, mas não é! Se você que está lendo este post, for uma apreciadora de patchwork, valorize quando encontrar peças bonitas e bem acabadas. Eu já vendi patch para amigos próximos, mas cheguei à conclusão de que é um trabalho que não se vende, ou faz para si ou dá de presente... as pessoas não costumam valorizar o trabalho de um artesão, então desisti de vender. E se você quer aprender a fazer, não desista na primeira dificuldade: insista. O patchwork exercita muitas coisas: sua criatividade, sua paciência e sua persistência. E você aprende muito sobre si: é terapêutico!

Espero ter contribuído um pouquinho para o seu aprendizado de patchwork. Site de algumas lojas que eu costumo freqüentar:

  • Kikikits: placas, réguas, agulhas, linhas especiais, tecidos importados, aulas.
  • Fernando Maluhy: tecidos nacionais, geralmente compro lá quando o projeto é grande e vai muito tecido (colchas, mantas).
  • 25 de março: mantas acrílicas e linhas comuns.
  • Altero: quando foz bolsas e nécessaires comprei muita coisinha diferente lá, vale a pena uma visita. Comprei tanta coisa que só fui uma vez. Tenho miudezas para 25 bolsas ainda rsss.
  • Arte e Costura: loja em Porto Alegre, cidade que vou quando visito meu pai. Fica bem pertinho casa dele e ao lado do Parque da Redenção. É um passeio ir nesta loja, eu fico totalmente crazy. Agora eles vendem pela internet, fica mais fácil.
Boa costura Adenize! Quando seu projeto estiver pronto, mande uma foto e coloco aqui no meu blog para todo mundo apreciar :)
Beijos, Rê

3 comentários:

Adenize disse...

Adorei!!! Uhuhuhuh!
Juro que vou tentar e qualquer coisa recorro a super Rê! Beijos e obrigada

Silvana disse...

Olá,

Adorei as suas orientações! Tenho vontade de me aventurar na arte do artesão, mas não levo jeito. Mas, quem sabe um dia não tomo coragem. E como adoro patchwork, pois as suas cores vivas dar ideia de vida pulsante, certamente me fará ter mais paciência e tranquilidade!

Muito obrigada!
abraços
Silvana

Arlete disse...

Olá!

Amei a sua postegem. Como uma fã de arte em geral, adoro tudo que é belo. O patchwork me lembra a infância e mesmo não tendo nenhuma habilidade com a máquina de costura, tenho o maior desejo em aprender, afinal, aprecio muito trabalhos manuais e artesanais. Parabéns e obrigada por disponibilizar o seu saber.